É, amigos, não tá fácil. Apesar de uma liderança logo na primeira rodada do Maranhense, após a vitória por 3×0 contra o praticamente inofensivo Bacabal, a equipe do Sampaio Corrêa mostra que ainda não está competitiva o suficiente para as outras competições do ano, de modo a alcançar uma inédita classificação para a segunda fase da Copa do Nordeste e ao menos repetir a campanha na Copa do Brasil 2017, quando classificou para a terceira fase.

Sendo a única equipe a disputar mais de 2 competições na primeira parte do ano, além de ter sido um dos times a conseguir o acesso à Série B, era de se esperar boas peças em todas as posições. Entretanto, o que vemos é um time incompleto e improvisado em campo, contando apenas com os excelentes esquemas táticos feitos pelo técnico Francisco Diá.

O jogo desta última terça (23) mostra a qualidade de um elenco que parece feito apenas para o estadual. Não há dúvidas de que, tecnicamente, o Sampaio possui jogadores melhores do que os adversários locais em todas as posições, do gol ao ataque; mas, como falamos de futebol, também sabemos que isso não garante nada. A impressão que ficou é que as outras competições não importam nos planos da equipe, o que é péssimo para alguém que pretende ficar entre os 40 melhores clubes do país em 2019.

O saldo positivo de tudo isso vem justamente da Copa do Nordeste. Contra o CSA, uma equipe que praticamente inalterou o ótimo time de 2017, o Tubarão mostrou-se pouco criativo, apesar de bem postado em campo. Criou quase nada e aproveitou a única chance real que teve, apostando na marcação forte para segurar o resultado. No final, tomou o gol de empate, dando um gosto amargo à partida, mas que serviu para ver bem onde os reforços são necessários.

O aparente “azar” de cair no grupo D, o mais temido da Lampions, com o Ceará (Série A) e Salgueiro (Série C), além dos rivais da última quinta-feira, mostra-se sorte, vez que se trata de excelente oportunidade para que o time seja testado de maneira melhor do que no estadual. São 6 jogos que representam muito mais o que é o Sampaio hoje e onde ele pode chegar, do que as 7 partidas da fase de grupos Maranhense, onde, infelizmente, não há parâmetro de qualquer coisa.

Além disso, há a Copa do Brasil, onde veremos um Independente que joga muito bem em seus domínios e se mostra organizado. É um bom teste de começo de ano, que pode ser fundamental para os rumos da equipe em 2018, considerando as excelentes cotas da competição neste ano.

Voltando ao Tricolor Maranhense, é inegável que existem boas peças no elenco. Também é sabido que, por ora (espera-se), é um time recheado de apostas, se aproximando de um sub-23 na média de idade do elenco. Mas do que já se viu até aqui, entre amistosos e jogos oficiais, nos parece claro que boa parte dos jogadores parece não ser boa o suficiente para ter o contrato renovado depois do começo de abril, principalmente entre os reservas.

Deixe uma resposta