por José Roberto Leite Jr.

Saulo – 6,0. Salvou o time o quanto pôde, não teve culpa nenhuma no gol do Fortaleza.
Diego Renan – 3,5. Mal passou do meio de campo, jogou só na defesa.
André Penalva – 3,5. Inseguro em alguns lances, mas não comprometeu.
Lula – 3,0. Também não demonstrou segurança na defesa, rebatendo bolas fáceis nos pés dos jogafores do Fortaleza, mas nenhuma falha grotesca.
Lorran – 2,5. Não há mais nada a ser dito sobre Lorran, com todo respeito.
Diogo Oliveira – 3,5. Não conseguiu sequer cumprir sua função de volante e quando tentava a transição, devolvia a bola pro adversário.
Felipe Dias – 4,0. Lutou como sempre mas muito pouco efetivo.
Alex Henrique – 4,0. Mais um que não conseguiu fazer muita coisa ja que o time pouco ficava com a bola.
Daniel Barros – 2,5. Quando conseguiu pegar na bola, prendia mas não para cadenciar o jogo e sim para entregar ao adversário.
Danillo Bala – 4,5. Nas poucas vezes que a bola chegou, tentou jogadas ofensivas pela ponta, mas nada que levasse perigo ao Fortaleza.
Vinícius Paquetá – 4,0. A bola não chegou, não conseguiu fazer nada.

Reservas
Raí – 3,0. Difícil cumprir uma função quando o tine mal passa do meio de campo.
Toni Galego – sem nota
Rone – 2,0. Perdeu um gol imperdível até para um atacante mediano, não evitaria a queda mas não poderia desperdiçar.

Marcinho Guerreiro – É um cara muito boa praça e esforçado, mas foi jogado numa enrascada, sequer sendo oficialmente efetivado como treinador pela atrapalhada diretoria, não dá pra jogar aculpa da queda em suas costas.