O MAC jogou mal contra Rio Branco-AC e contra o Santos-AP, mas em ambos os casos o Quadricolor conseguiu evitar a derrota no Castelão. Diante do Operário, além de faltar competência, o Quadricolor não contou com a mesma sorte dos jogos anteriores e levou uma acachapante derrota, de virada por 3 a 1.

A derrota obriga o MAC a vencer o jogo de volta por 3 a 0, ou caso o Operário-PR marque um gol, o time atleticano precisará de quatro gols para conseguir o milagre fora de casa e subir para a Série C. Será uma semana de muita preparação e se agarrando em todas as esperanças possíveis.

O MAC até começou bem o jogo. Após duas chegadas dos paranaenses, no primeiro escanteio, um dos pontos fracos do Operário-PR, Yuri testou para o fundo da rede e abriu o placar. O que parecia que poderia significar um domínio atleticano, novamente foi apenas uma ilusão.

Recuado, o MAC não conseguia conter os avanços do Operário-PR, que se intensificaram quando Quirino saiu da direita para a esquerda e passou a agredir a lateral defendida por Rômulo Ferreira. O gol do empate veio após cobrança de escanteio, com Peixoto na primeira trave. O gol foi idêntico ao primeiro do Santos-AP no jogo de volta, erros repetidos.

De quebra, com Rômulo mal em campo, Quirino passou a ter a liberdade que queria pela esquerda, até receber livre e virar o jogo ainda no primeiro tempo. A etapa final foi um MAC desesperado em busca do empate, mas sem sucesso. O Fantasma ainda achou o terceiro gol, após Robinho tocar para Índio cabecear sozinho na pequena área. Fato que o MAC viu um pênalti negado, mas pela pobreza do futebol apresentado nos três jogos do mata-mata em casa, dificilmente o time atleticano conseguirá inverter a situação no jogo de volta na próxima segunda-feira.

Deixe uma resposta