Com 11 caras novas, a maioria com passagem pelo Nordeste, o Sampaio enfim apresentou o elenco para a temporada de 2017. No total já são 24 jogadores no elenco, que será comandado pelo técnico Vinícius Saldanha, com os primeiros desafios no Campeonato Maranhense, Copa do Nordeste e Copa do Brasil.

Um fato que chamou atenção no perfil dos contratados é a pouca atuação deles durante a temporada. Dos nomes que merecem destaque vale observar o goleiro Paulo Rafael, que fez boa Série D pelo Maranhão e disputou a Série B paraense pelo Desportiva Paraense. O arqueiro poderá fazer uma boa disputa pela camisa 1 com o goleiro Rodrigo Ramos, enquanto Jean segue como terceira opção.

Ainda entre os novatos, Otávio e Alex chegam para assumir funções diferentes. Os jogadores atuaram nas últimas temporadas como volantes, mas Saldanha deixou claro que pretende utilizar a dupla na zaga. Além deles, Lucas, um dos destaques do São José-MA em 2016, chega para compor o leque de opções defensivos.

O lateral-direito Artur é uma das contratações mais consistentes para a defesa. Aos 32 anos o jogador chega após ser titular no Vitória da Conquista em 2016 e com passagens recentes pelo São Caetano, Figueirense e Ponte Preta. Na lateral-esquerda, Zadda foi a única novidade, com poucos jogos em 2016, deverá ficar atrás de Ruhan e do jovem Wesley, caso seja promovido, na briga por uma vaga no time titular.

No meio-campo, o retorno do volante Diego Valderrama, que fez uma boa Série D pelo Moto, foi a principal novidade. Paraná e Cloves chegam ao time após realizarem poucos jogos na temporada, mas o segundo conta com aval de Saldanha, que pelas declarações, vê no meia um possível titular. Ainda completam as opção para o setor, Daniel Barros e Cleitinho.

Para as pontas, com a saída confirmada de Pimentinha, as opções seguem com Hiltinho, Edgar, Henrique, Fernandinho e o recém-contratado Ricardo Maranhão, que fez apenas dois jogos na última temporada pelo Altos. Fechando o ataque, Carlos Alberto, que foi dispensado pouco tempo depois do início da Série B, retorna ao Tricolor.

No geral, a qualidade do elenco apresentado é bem abaixo do esperado. Dessa forma, a tendência é que o Estadual seja um teste para o elenco que disputará a Série C, como ocorreu nas últimas temporadas para a Série B. Com um trabalho raso de observação, a principal esperança do Tricolor é encontrar “novos Jonas e Uillians” como foi em 2013.